quinta-feira, 30 de maio de 2013

Persistência

Um homem investe tudo o que tem numa pequena oficina. Trabalha dia e noite, inclusive dormindo na própria oficina. Para poder continuar nos negócios, empenha as próprias jóias da esposa. Quando apresentou o resultado final de seu trabalho a uma grande empresa, dizem-lhe que seu produto não atende ao padrão de qualidade exigido. O homem desiste ?

Não ! Volta à escola por mais dois anos, sendo vítima da maior gozação dos seus colegas e de alguns professores que o chamavam de "visionário". O homem fica chateado ? Não ! Após dois anos, a empresa que o recusou finalmente fecha contrato com ele.

Durante a guerra, sua fábrica é bombardeada duas vezes, sendo que grande parte dela é destruída. O homem se desespera e desiste ? Não ! Reconstrói sua fábrica, mas um terremoto novamente a arrasa. Essa é a gota d'água e o homem desiste ? Não !

Imediatamente após a guerra segue-se uma grande escassez de gasolina em todo o país e este homem não pode sair de automóvel nem para comprar comida para a família. Ele entra em pânico e desiste ? Não ! Criativo, ele adapta um pequeno motor à sua bicicleta e sai às ruas. Os vizinhos ficam maravilhados e todos querem também as chamadas "bicicletas motorizadas".

A demanda por motores aumenta muito e logo ele fica sem mercadoria. Decide então montar uma fábrica para essa novíssima invenção. Como não tem capital, resolve pedir ajuda para mais de quinze mil lojas espalhadas pelo país. Como a idéia é boa, consegue apoio de mais ou menos cinco mil lojas, que lhe adiantam o capital necessário para a indústria.

Encurtando a história: Hoje a HONDA CORPORATION é um dos maiores impérios da indústria automobilística japonesa, conhecida e respeitada no mundo inteiro. Tudo porque o Sr. Soichiro Honda, seu fundador, não se deixou abater pelos terríveis obstáculos que encontrou pela frente.

Portanto, se você, como infelizmente tem acontecido com muitas pessoas, adquiriu a mania de viver reclamando e lamentando, pare com isso ! Vá em frente ! Sempre.

quinta-feira, 23 de maio de 2013

ONZE CONDUTAS MAÇÔNICAS DESEJÁVEIS



Onze condutas maçônicas que, certamente, contribuem positivamente e protegem a nossa ordem das ações e das influências dos infiltrados:

1) Sirva à instituição e não à pessoas;

2) Quando for divergir, seja de ideias, propostas e condutas, mantenha-se imparcial e com honestidade, deixando de lado simpatias ou antipatias pessoais;

3) Chame sempre para você a responsabilidade de proteger e defender a instituição, não esquecendo que os nossos maiores inimigos, infelizmente, vestem avental;

4) Não se venda por medalhas, títulos, cargos, alfaias e elogios;

5) Quando for indicar um candidato, não seja um corretor de avental, que seja pessoa que se amanhã for à bancarrota e você tenha necessidade de levá-la para dentro de tua casa, ela não ocasione problemas à tua família;

6) Seja parceiro fiel e leal da verdade e da justiça, assumindo a inteira responsabilidade do que falar, escrever ou fazer;

7) Nunca se esqueça que os exemplos falam mais do que palavras e que os Aprendizes, Companheiros e Mestres mais novos precisam de referências;

8) Não seja Maçom oportunista ou inconsequente, pois baixaria, truculência e contestação infundada e mentirosa não são compatíveis com as nossas virtudes e princípios, maculando os Templos Maçônicos;

9) Não olhe para um Irmão como se fosse seu superior hierárquico, porém respeite as autoridades maçônicas legalmente constituídas, bem como, se for necessário, exija delas, usando os caminhos e meios legais maçônicos, que desempenhem os seus cargos com dignidade, probidade, humildade e competência, pois não estarão fazendo mais do que sua obrigação;

10) Seja um obreiro útil, humilde, dedicado, competente, de atitude e instruído nos augustos mistérios da Arte Real, pois, caso contrário, poderá ser manipulado e inconscientemente prestar serviços para aqueles pseudo maçons que representam a antimaçonaria.

11) Mas nunca se esqueça que vc faz parte integrante da Instituição e é no conjunto de Irmãos que a Maçonaria vive e pulsa e só poderá alcançar seus altivos interesses quando todos de mãos dadas seremos um só corpo pensante.

segunda-feira, 20 de maio de 2013

AFINIDADE E AMIZADE




Grão Mestre Barbosa Nunes - GOB/GO

Vivemos em um mundo de incerteza, atmosfera de desconfiança, em que as pessoas se relacionam sempre com dificuldades de confiar entre si, enfraquecendo possibilidades de novas e boas amizades. No campo comercial então, é rotina você adquirir um produto e ser enganado ao recebê-lo com qualidade inferior, menor peso e quantidade. Nos contratos de compra e venda ou de outros compromissos, sempre extensos, há artigos e cláusulas em letrinhas minúsculas, para os quais você não se atentou.

Estou falando das relações comerciais, mas isto também ocorre, rotineiramente, nas relações pessoais, de parentesco e de pessoas que se diziam amigas ou pensavamos serem amigas. Há uma frase muito conhecida: “Amigos de verdade eu conto nos dedos de uma mão só”. Na atividade política partidária então, nem é bom falar. Não há amigos. Os interesses momentâneos se sobrepõem e os políticos muito bem se adaptam, ora elogiando e logo a seguir desqualificando aqueles que eram portadores de qualidades positivas.

Lembro de uma frase de Ulisses Guimarães, inflamado orador, político corajoso e combativo, mas que também não foi suficientemente autêntico para sair desta situação que a política impõe. Certa vez afirmou, referindo-se à sua esposa, conhecida por Mora: “Não posso dizer para Mora o que muitos políticos dizem de mim, pois senão ela vai me ver abraçado nos palanques com eles, na semana seguinte. O que ela vai dizer para mim?”.

Não abordo este tema com pessimismo, pelo contrário, com muito otimismo, mesmo estando ciente que a vivência neste mundo material, em todos os setores, como estamos vendo todos os dias é de conflitos entre políticos, religiosos, governantes, famílias e entre aqueles que se diziam amigos de verdade, em luta gananciosa.

Leio o livro de Gary Zukav, Editora Lafonte, “O Poder da Afinidade – Aprenda a criar um círculo altamente positivo em torno de você”, que sugiro aos amigos e amigas, e encontro as “chaves para aqueles que desejam fazer de suas relações interpessoais verdadeiras oportunidades para o desenvolvimento espiritual. Mostra como modificar as partes negativas em nossa personalidade e expandir as positivas para estabelecer conexões realmente profundas e enriquecedoras nos relacionamentos. Isso não acontece de modo automático, mas é fruto de uma decisão. E reage em efeito dominó. Depois que disparar a primeira peça, um encadeamento de laços e afinidades irá conduzir você a um novo patamar de relacionamento e felicidade”.

Então, o foco deste artigo é afinidade e amizade. Em relação à primeira, afirmo que as comunicações acontecem com facilidade maior entre as pessoas que tem afinidades entre si, sentimento que é fundamental, base para amizade, não estas que desaparecem e não resistem ao caminhar do tempo. Sem afinidade não se forma uma boa amizade.

A afinidade é parceria entre iguais e exige crescimento espiritual, estes mais interessados uns nos outros do que em objetivos imediatos, comuns, muitas vezes para enganar e ludibriar, o que ocorre nas campanhas eleitorais, com os candidatos falseando, oferecendo soluções impossíveis de serem atingidas. Por isto, é muito difícil uma amizade do eleitor com o seu candidato, que não seja de interesse e de lucro para ambas as partes. As religiões oferecem pelo rádio, televisão, jornal e até serviço de som pelas ruas, milagres e mais milagres, com cura imediata e sucesso financeiro rápido, para aqueles que aderirem às suas pregações e contribuírem para que a “graça” ocorra. Cessando este interesse, desaparece como fumaça uma “amizade”.
No seu interior, há dragões ativos fazendo escolhas se você não se vigiar. O dragão cresce, a ambição se agiganta e ele passa por cima de tudo e de todos para atingir o seu objetivo. Um dia ele encontra resistência do bem e da moral, diluindo-se humilhantemente perante sua família, seu círculo social e daqueles que se diziam “amigos”. Estes se afastam e para não serem pegos se escondem, deixando muitos a pagarem pelos seus pecados, isto é, “cristos” que vão sofrer por muitos outros.

A afinidade é a argamassa da amizade, não importando o tempo, a ausência, pois quando voltar o encontro, o diálogo, o carinho, serão retomados. Mesmo sem se conhecerem, a afinidade pode existir entre pessoas. A afinidade é discreta e só seres humanos sensíveis conseguem desenvolvê-la. Como disse Marcial Salaverry: “Na verdade mesmo em casos de separação ela pode sobreviver. Mantêm-se imutável, pois contrariamente ao amor, parece que a ausência física desenvolve ainda mais o sentimento. Uma coisa é certa, para que a afinidade sobreviva, é imprescindível que haja entre os componentes da parceria, uma comunhão absoluta de idéias e ideais”.

Como o mundo seria, se a amizade sincera prevalecesse. Seria o paraíso. Envio a você, com sentimento de também estar sempre reforçando as minhas amizades, este texto emocionante, que penetra em nosso coração e que nos faz abrir o nosso interior, autoria de Marilyn Monroe.

“Algumas vezes na vida, você encontra uma amiga especial. Alguém que muda sua vida simplesmente por estar nela. Alguém que te faz rir até você não poder mais parar. Alguém que faz você acreditar que realmente tem algo bom no mundo. Alguém que te convence que lá tem uma porta destrancada só esperando você abri-la. Isso é uma amizade pra sempre. Quando você está pra baixo e o mundo parece escuro e vazio, sua amiga pra sempre te põe pra cima e faz com que o mundo escuro e vazio fique bem claro. Sua amiga pra sempre te ajuda nas horas difíceis, tristes e confusas. Se você se virar e começar a caminhar, sua amiga pra sempre te segue. Se você perder seu caminho, ela te guia e te põe no caminho certo. Sua amiga pra sempre segura sua mão e diz que vai ficar tudo bem. Sua amiga é pra sempre, e pra sempre não tem fim”.

Guardemos os nossos amigos verdadeiros para sempre.
Publicado no Jornal Diário da Manhã, edição de 18 de maio de 2013.

sábado, 18 de maio de 2013

A Maçonaria Espúria - um alerta

Não caia no conto do falso maçom, nenhuma loja regular brasileira usa links patrocinados, anúncios no jornal recrutando pessoas para a maçonaria.

Aqui, como noutros lugares, há uma corja de picaretas, estelionatários, psicopatas, tupiniquins ou não, que vivem à margem da lei, seja ela profana ou maçônica.

Raridade é encontrar nas potências ditas “espúrias” alguma boa-fé. Na maioria das vezes é COMÉRCIO.

Estes “senhores” sem escrúpulos, que em razão dos seus comportamentos nefastos invadiram a internet propalando a Maçonaria e suas supostas filiações e “iniciações” a custa de pagamento ¾ A “maçonaria” na forma de mercancia ou moeda de troca.

A Maçonaria Brasileira Regularmente Instituída e Reconhecida Internacionalmente, não está imune aos ataques dessas pessoas, que chegam ao cúmulo de criarem entidades com o nome de Loja Maçônica, com o nome de potência maçônica, para ganharem vantagem e dinheiro, oferecendo aos incautos oportunidade de serem “iniciados” virtualmente na “maçonaria” deles, como se isso fosse possível.

Os que caem no conto, perdem dinheiro, se decepcionam e se revoltam quando descobrem que foram enganados.

No Brasil somente existem três Linhagens da Maçonaria Regular e Reconhecida:

As Grandes Lojas Maçônicas Estaduais e do Distrito Federal, que se congregam em Confederação a CMSB (www.cmsb.org.br); Os Grandes Orientes Estaduais Independentes, que formam uma Confederação a COMAB (www.comab.org.br); e O Grande Oriente do Brasil (www.gob.org.br) que é uma Federação, comportando os Grandes Orientes, sob a sua jurisdição, em todos os Estados Brasileiros e o Distrito Federal.

O GOB e algumas Grandes Lojas são os únicos no Brasil efetivamente reconhecidos pela United Grand Lodge of England. Consulte http://www.ugle.org.uk/about-ugle/recognised-foreign-grand-lodges/grand-lodges-in-south-america/

Esclarecemos que fora as listadas, todas as demais potências em funcionamento no território brasileiro não são reconhecidas pelas três potências regulares.

Ou seja, os cidadãos que são “iniciados” nessas potências irregulares são impedidos de visitarem as lojas destas potências regulares.

Existem outros ¾ os psicopatas, mentirosos compulsivos, que se passam por maçons para darem golpes na praça, em nome de potências maçônicas inexistentes. Nesses particular se enquadram os falsos médicos, os falsos policiais, os falsos jornalistas, falseiam a verdade, que se locupletam com o dinheiro alheio através de conchavos espúrios.

Ou seja, não é só a Maçonaria que é vítima de falsários e outros especialistas em malandragem e bandidagem.

O certo, portanto, é o cidadão de bem ficar atento.

Meus Irmãos, propale estas discas, poste nos BLOG’s, quanto mais informações estiverem disponíveis melhor, somos uma enormidade de Irmãos e Maçons de Bem, vamos levantar esta bandeira.

(Fonte: email recebido)

sábado, 11 de maio de 2013

Preso estelionatário que aplicou golpe da "maçonaria" em procurador

De: Diário de Cuiabá
DILSON ROSA
Da Redação

O vendedor Joacy Soares Atagiba, de 63 anos, foi preso por policiais militares acusado de estelionato. Ele se passava por membro da Maçonaria e, com uma falsa ficha de cadastro, dizia para as vítimas que seria para ingressar na entidade. Para tanto cobrava entre R$ 200 e R$ 400 e ainda pegava fotocópias de documentos pessoais. A Maçonaria informou que o ingresso na entidade acontece através de convite de um dos membros.

A detenção ocorreu ontem de manhã, na Câmara Municipal de Cuiabá, no gabinete do vereador Luiz Poção. O vereador desconfiou que se tratava de golpe e acionou a PM. Ao ver os policiais, Joacy caiu em contradição. Com ele, os policiais encontraram cinco fichas preenchidas e colocados numa prancheta. Elas seriam o chamarisco para dar crédito ao trabalho dele e a vítima não desconfiar.

Uma das fichas apreendidas está assinada em nome do Procurador do Estado Alexandre César, incluindo uma foto 3x4 e a assinatura dele. Policiais se deslocaram até a casa de Joacy, mas não localizaram novas fichas.

Por telefone, o procurador Alexandre César confirmou que foi vítima do estelionatário. Conforme o procurador, ele foi procurado por Joacy Soares há três anos.

“Ele me falava em nome de uma loja (maçônica), a qual meu pai freqüentou. Citou alguns nomes de maçons e disse que foi destacado para iniciar o processo para a minha inclusão”, comentou o procurador. O pai de Alexandre César, que também era maçon, morreu há mais de 20 anos.

Joacy pediu ao procurador R$ 80. “Ele disse que seria uma taxa simbólica para o andamento do processo”, disse Alexandre, que nunca mais foi procurado pelo golpista. O procurador, que tentou localizar Joacy diversas vezes, acredita que o estelionatário usava seu nome e sua ficha para atrair novas vítimas.

A Polícia Militar ainda não conhece o número de vítimas de Joacy. “É possível que essas pessoas (que caíram no golpe) nem tenham registrado queixa para não chamar a atenção”, disse major Alessandro. Os policiais não sabem se essas pessoas chegaram a procurar a Moçonaria ou ainda estão esperando a entrega da carteira. A entidade informou que não há expedição de carteira.

Joacy estava com uma carteirinha de membro da Maçonaria de Mato Grosso do Sul. Policiais militares entraram em contato com a entidade e foram informados de que o vendedor tinha sido desligado, mas não revelaram o motivo. Um integrante da Maçonaria de Cuiabá informou que a entidade, em alguns casos, prevê a expulsão.

Fonte: http://www.diariodecuiaba.com.br/detalhe.php?cod=212057