segunda-feira, 29 de julho de 2013

A Vaidade



Vivemos em um tempo, onde a vaidade esta acima de tudo para a maioria das pessoas, poucos se preocupam em tentar fazer o melhor para alguém ou algo de importante simplesmente por um gesto de amor.

Famílias se afastam e procuram até estar distantes uns dos outros por puro capricho e egoísmo e qualquer motivo leva ao extremo de não querer se quer olhar para o próximo, pais imploram por uma visita e amor de seus filhos.

Valores como família e amizade não são mais os principais na vida de muita gente, o isolamento para muitos se faz necessário na visão destes, porém nós devemos acima de tudo colocar nossa família e amigos em primeiro lugar.

Devemos aprender a viver com a diferença e a vontade dos outros, difícil, mas com esforço e perseverança conseguiremos, um simples gesto de carinho à alguém, pode ser a diferença na vida desta pessoa e até na sua, pois o ditado de o futuro a Deus pertence é presente em nossas vidas, para alguns é a lei da ação e reação.

Quando formos falar de alguém e não for para trazer benefícios a esta pessoa, devemos analisar se isso se faz necessário e antes de proferir qualquer palavra de discórdia, analisemos todas as consequências disto para a pessoa envolvida, a que houve e para você, se não for falar palavras de prosperidade e alegria, é melhor ficar quieto.

Quanto mais aprendemos e passamos a deter algum tipo de conhecimento sobre algo, percebemos que devemos ler e ouvir mais e que tudo que sabemos, nada é perante ao conhecimento dos sábios, pois os sábios se calam diante da ignorância. 

Devemos nos manter alertas e focar na amizade e amor aos seres, lembre-se que os grandes homens que passaram por este mundo, amavam a natureza, arte, animais e seres humanos, pois eram completos na sabedoria do amor e do espírito.

Como podemos falar em progresso espiritual e pessoal se mantemos inimizades e o perdão não faz parte do nosso dia a dia, pensemos nisso e quem sabe um dia deixemos de ser aprendizes e evoluímos.
Um grande beijo no coração de vocês e ótima semana.

Ir.: Arlindo Chapetta.

segunda-feira, 22 de julho de 2013

LEI DA ATRAÇÃO: OS DEZ MOTIVOS PARA VOCÊ NÃO ESTAR ATRAINDO



O segredo – A lei da atração não funciona para mim!

Os dez principais motivos para você não estar conseguindo atrair o que quer.

1 – Você possui crenças negativas sobre você
Alguns aspectos nos fazem determinar características ruins para nós mesmos e essas muitas vezes são irreais e nos impossibilitam de chegar aonde queremos.
Por exemplo: Você pode até querer ser milionário, mas acredita que não é esforçado o suficiente para manter um negócio grande, pois muitas vezes desistiu de projetos por medo. Ou, você até acredita ser esforçado, mas seu tio alguma vez lhe disse que você é muito “molenga” e você deixou aquilo entrar no seu ser.
A primeira coisa que você precisa entender para mudar isso é: Nada é, tudo está.
Você não é “molenga”.
Você pode até ter estado assim, mas o seu eu não é, pois somos criações do Universo, e ele não falha.
Então, dissolva qualquer crença negativa sobre você mesmo, pensando sempre assim:
Eu não sou nada, o que eu acredito ser é pura fantasia da minha mente, eu posso ser o que eu quiser, eu vou explorar o meu melhor, o MEU melhor.

2- Você não se aceita
Comumente associamos felicidade a um estereótipo. Acreditamos que a felicidade está em ser um tipo específico de pessoa ou alcançar uma certa posição, mas muitas vezes estamos equivocados.
Por exemplo: Você assiste a um filme onde tem uma mulher alta, com os cabelos lisos e loiros, que trabalha numa grande empresa no centro da cidade e fica para lá e para cá o dia inteiro.
Você por outro lado, tem uma estatura baixa, os cabelos ondulados e adora trabalhar em um ambiente calmo e silencioso, movimento para você só na hora dos exercícios!
Em vez de se aceitar e procurar fazer algo construtivo dentro das suas características, você tenta ser como a mulher do filme.
Você faz as técnicas para atrair um emprego em uma grande empresa, alisa e pinta seus cabelos e usa salto alto para ficar tão alta como ela.
Mas será que é isso que lhe fará feliz ?
E se você tentasse atrair um trabalho em que você ocupe seu tempo com algo que lhe agrade?

3- Você não está assumindo o que você realmente quer
Da mesma forma que você pode ter criado estereótipos de quem quer ser, você deve ter criado um do que os outros acham certo.
Não é por que seu pai foi bem sucedido na carreira dele, que você precisa fazer o mesmo que ele.
Não é por que sua irmã casou aos vinte anos que você precisa casar também.
Não é por que a sociedade só é feliz tendo carro, casa e celulares modernos, que você precisa ter também.
Não é porque o mundo acha que o certo para você é “x” que será.
O que VOCÊ QUER?
Descubra o que vai fazer VOCÊ feliz, independente do que os outros vão pensar.
Quando você aplicar as técnicas para atrair o que realmente te trará a felicidade, vai ficar muito mais fácil de atrair, pois como já dizia o Calunga: “O que é teu, vem fácil”.
Para melhorar esse aspecto, faça o seguinte exercício: Feche os olhos, respire bem fundo, acalme sua alma e faça-lhe a seguinte pergunta:
Se eu fosse para uma cidade distante, onde ninguém me conhecesse, onde eu não tivesse que provar nada para ninguém, onde eu tivesse a oportunidade de começar do zero, o que eu faria?
O que você responder é o mais próximo de quem você é, e do que você realmente quer.

4- Você até espera o melhor do Universo, mas não SE DÁ o melhor
Você quer que o Universo te traga um amor, mas você não se ama.
Você quer que o Universo te traga alguém que cuide de você, mas você não se cuida.
Você quer que o Universo lhe traga abundâncias financeiras, mas você não se permite comprar nada que lhe agrade.
Descubra o que você sabe fazer de melhor por você, e mesmo que seja algo bem pequeno, faça, pois independente do que seja, será o seu melhor, e o Universo te responderá com o melhor dele.
A lei da atração não responde apenas aos nossos pensamentos e sentimentos, ela também nos traz de volta as nossas atitudes.

5- Você não confia na sua parte
Uma das coisas que eu mais vejo são pessoas que não confiam no que estão fazendo. Elas começam a mudar os seus pensamentos, realizam técnicas, lêem livros, mas não acreditam que estão fazendo certo.
Essas pessoas sempre acham que estão erradas ou que ainda não estão 100%, e o qual é o resultado: O Universo também não lhes dá os 100%.
Faça o que você aprendeu – o seu melhor – e confie ao Universo o resto.

6-Você quer fazer tudo sozinho e não confia nada ao Universo
Talvez essa seja uma das maiores dificuldades das pessoas.
A fé no nosso planeta anda muito abalada por causa de crenças erradas de quem é Deus e de como ele age. Não confiamos realmente que ele nos dará alguma coisa, pois muitas vezes pedimos e não recebemos.
O que precisamos entender aqui é que não estamos pedindo nada e sim agindo em prol do que queremos de uma maneira diferente que aprendemos.
E essa maneira nos diz que Deus ou Universo (não importa como você chama) caminha ao nosso lado, nos dando, conforme nos damos.
Portanto, acredite de coração, que a vida realmente se movimenta ao seu favor quando você está ao seu favor.
E sim! Ela te traz oportunidades, pessoas, coisas… Tudo o que você precisar para a sua felicidade e para sua evolução.
Para aumentar a sua fé, você pode fazer o seguinte: Tudo o que você for fazer – Tudo – pense que você está fazendo com o Universo.
Eu e o Universo vamos arrumar um emprego. Eu e o Universo vamos atrair um relacionamento para a minha vida. Eu e o Universo vamos sempre trazer o melhor para a minha vida.

7- Você não está abrindo espaço para acontecer
Um erro muito comum que eu vejo é o das pessoas ficam tão obcecadas em realizar as técnicas que elas não dão espaço para o que elas querem se materializar.
Exemplo: Há dez dias você faz diariamente uma técnica de afirmações positivas. Você já está se sentindo super bem, possuidora do que você quer, criando uma energia super positiva, mas ao terminar cada técnica, você já estar planejando qual vai fazer amanhã para reforçar.
Ou seja, você não acredita realmente que no espaço de tempo de hoje para amanhã, o que você quer possa se materializar.
É muito importante manter-se todos os dias positivo, mas mais importante ainda é abrir espaço para acontecer.
Para resolver isso, faça suas técnicas e largue para lá!
Como eu gosto de dizer: Desapegue!
Assim, você estará abrindo espaço para a concretização do que já é teu, mas ainda apenas não se manifestou.

8- Você está obcecado por algo muito específico
Você quer amor, mas só pode ser o amor de fulano.
Você quer um emprego, mas tem que ser o emprego tal.
Agora me responda: Quem sabe realmente o que pode ser magnífico na sua vida? O Universo ou você?
Mas uma vez eu sugiro: Desapegue!
Desapegue e peça ao Universo sempre o MELHOR! O mais abundante! O mais extraordinário!
E confie, ele sempre trará o perfeito para você.
E talvez o melhor seja o amor do fulano ou o emprego tal.
Mas aceite que se não for, será algo mil vezes MELHOR!

9- Você está sentindo com a cabeça e não com a alma
Acreditar com a cabeça em alguma coisa é até fácil. Convencemos nossa mente de algo novo muito rapidamente.
Mas nosso sistema de crenças, aquele que fica na alma mesmo, ( aqueles que acreditam em vidas passadas dizem que essas crenças vêem até de outras vidas) está entulhado de porcarias a nosso respeito e a respeito da vida.
Acredite na felicidade, mas acredite com muita fé, vá lá ao fundo da sua alma e substitua essas crenças velhas!

10- Você não aplica suas vibrações no dia a dia
Um sinal de que não acreditamos com a alma é que não aplicamos nosso positivismo no dia a dia.
É altamente comum acontecer o seguinte:
Você faz suas técnicas todos os dias por 20 minutos. Durante aquele tempo você vê a maravilha que a vida é você consegue se conectar profundamente com o Universo.
Mas ao se desligar e ir viver a sua vida, você se enche de negativismo novamente.
Você assiste ao telejornal e fica vendo aquelas desgraças enquanto pensa e comenta com o seu colega como o mundo está perdido.
Quando acontece alguma situação desesperadora, você já logo fica nervoso e nem lembra que pode contar com o Universo para te ajudar.
Nas suas conversas, você só fala de reclamação, reclama que não tem isso, que não tem aquilo e etc.
Quando você anda pelo shopping, olha tudo procurando pelo preço e reclama que está tudo caro, afirmando para si que não pode comprar nada daquilo.
Quando você vê um casal feliz, sente tristeza por não ter o mesmo.
Simples: lá no fundo de sua alma, você não acredita que nada vai melhorar.
Você faz as técnicas da lei da atração na esperança de que talvez mude, mas não acredita realmente.
Para mudar isso aplique o seu positivismo em todos os segundos do seu tempo.
Não veja nada ruim na TV enquanto você não conseguir separar que aquilo é dos outros e não seu. Se você precisa se informar, leia rapidamente no jornal as notícias.
Quando estiver em uma encruzilhada, relaxe e confie que o Universo vai te ajudar a resolver o melhor caminho a seguir.
Converse sempre sobre coisas boas!
Olhe tudo o que você quer com olhos de possuidor.
Repare nos casais felizes percebendo que aquele amor também é de seu direito!
Esses são os dez erros que eu consertei em mim e que me fizeram conseguir alcançar muitos objetivos com a lei. Espero que ajude vocês também.
Não se esqueçam: Nada é, tudo está se formando, faça com que se forme a seu favor!

Autor: Carolina Flores Quintanilha
Postado em nosso grupo pelo Irmão Rossini de Faria.

quarta-feira, 17 de julho de 2013

Carta ao meu eterno Tio Mansur, pai e amigo...




Via Ir. Max Hager

Um ano atras, por este horário, chegava em casa triste vindo do Hospital. Havia conversado com os médicos e enfermeiras, e eles, tentavam me preparar para o pior. Já conhecia aquela ‘arenga’, já enterrei meus pais e outro amigo, que tinha como irmão, em Israel. 

O trajeto do Méier à Copacabana, fez-se curto. No fundo do táxi, as lágrimas exprimiam o grito incontido do coração. Não queria perder-te, não podia perde-lo ! Tio Mansur, era e é pra mim, o que restou de família. Um amigo, com os mesmos gostos e tradições parecidas. DeMolay e Maçonaria, Judaísmo e Cristianismo, Livros e Rituais... 

Chorava pelo meu egoísmo, por saber, que não mais poderia parar no supermercado, e levar um ‘caminhão’ de frutas e outras coisas, e mesmo chegando as 23,30 hs, ainda ir pra cozinha, para conversarmos comendo até às 5 da manhã, ainda que sob teus protestos quanto aos meus gastos.

Chorava pela tristeza, do vazio que viria, ao ouvir ‘Fool’s Overture’, ‘If Everyone was listening’, do Supertramp... músicas, que pra mim, exprimem sua vida e seu legado, tinha medo que esse dia chegasse, como chegou. 

Como correram estes dias, desde o dia em que chegastes ao Hospital, até o fatídico dia 17 de Julho... mesmo cansado por estes exaustivos dias, lembro-me que tentei dormir, mas o sono não vinha... quando chegou, não demorou, para que a mensagem as 5,59 hs de tua filha e minha ‘irmã’, trouxesse a triste notícia. Era como parte de mim tivesse morrido, uma parte brilhante e vívida, nobre e jovem...

Tua ausência, logo se notou nos dias a seguir. Aqueles que te cortejavam, e demonstravam um certo respeito, logo mostraram pro que tinham vindo... As faces tristes que nas tuas exéquias, no meio de centenas de jovens e adultos quiseram demostrar perda, não tardou a serem delatadas por seus atos vis... Ficou claro, nunca gostaram de ti e nem da Ordem, estavam, como estão, por eles próprios, por medalhas sem brilho, e falsas posições, que escondem a realidade da inexpressiva e medíocre atuação nas lides maçônicas.

A loja que assinastes como fundador, e eu havia me iludido que serias o primeiro Venerável Mestre, enquanto você brigava comigo e reiterava que eu seria o Ven., foi fundada com teu nome, e apesar de jovem, já iniciou 10 candidatos, destes 8 demolays, e outros mais estão a caminho. Outras lojas estão sendo fundadas, e levarão o mesmo nome... Apresente minhas desculpas ao Tio Land por isso, sei o quanto ele foi grande, mas... Não convivi com ele, convivi contigo !

Foi-se um ano... doido, triste e vazio ! Não creio que conseguirei ter outro amigo, como fui teu e você de mim... Não tenho mais animo, para brigar por alguém, como fiz por ti... Não vejo irmãos de teu quilate, com raras exceções de um Newton Alcântara, Ronaldo Soliva, e mais um ou outro... Mas, estes ainda que grandes irmãos, não tem a dupla paixão que tínhamos, digo maçonaria e demolay... nem 25 anos de convivência... 

Não nego que hoje tenho mais medo de fazer amigos... é muito ruim perder quem amamos... mas, o que fazer ? Privarmos nossa amizade daqueles que respeitamos e reciprocamente, e de maneira egoísta, nos fechar pro mundo ? Não seria justo... 

Conto os dias, em que nos veremos outra vez... pra te ser sincero, estou ansioso ! As companhias daí, por vezes, me parecem mais salutares que as daqui... pelo menos te garanto que, enquanto aqui estiver, teu nome será honrado e tua memória defendida. 

Caso a Ordem sobreviva aos desmandos de lá, e aos de cá, que os jovens no futuro possam saber, que um homem idealista e simples, abriu mão de um ‘poder’ relativo e razoável, para defender uma organização, que muitos no passado à chamavam de ‘grupo de moleques’, e proibiam seus templos, e hoje, ‘brigam’ por nós. Pra quem não sabe, o poder de Soberano Grande Comendador, corrompe tanto, que aquele que te traiu, e combinou ficar dois lustros de anos, já começou o quarto lustro, e enquanto o ‘coisa ruim’ não chama-lo, ele vai se fazendo de rogado...

Ore por nos... já que estais próximo do Ch-fe, e avise a turma, que breve estaremos por aí... Lembranças aos meus pais, ao Pike, ao Tio Cunha, Tio Nilo, Tio Raimundo, Tio Land, Tio Venâncio, Tio Pereira Salerno, Tio Arlindo dos Santos, Tio Orestes, e tantos outros homens dignos que foram seus pares, e que faltaria espaço aqui, para nomeá-los...

Ahhhhh, antes que me esqueça, sei que o senhor não se interessava muito por eles, e apesar de já ter comentado sobre o mesmo acima, digo, o chefe da choldra, o Sr. Torres, ele ainda não foi pro andar debaixo, talvez por falta de espaço... lá pulula gente ruim, ou então, pelo capiroto não gostar de concorrência. A dor na consciência da súcia, fez com que eles mandassem fazer um busto em tua homenagem... coitados, eles não entenderam que o nome demolay está gravado em nossos lábios, mas o teu, estará ad eternum, em nossos corações !

Bença meu Pai e amigo, e até breve ! 

segunda-feira, 8 de julho de 2013

O rabo do cachorro: cuidado com os bajuladores

“Muove la coda il cane, non per te ma per il pane”

 Este ditado popular italiano quer dizer: “Abana o rabo, o cão, não por ti, mas pelo pão”. Esse ditado existe também em Portugal, na Inglaterra e em outros países, em dezenas de idiomas.

 Veja a verdade contida neste ditado. Ele nos quer dizer: Cuidado com os bajuladores! Cuidado com os “puxa-sacos” de plantão, como se diz popularmente.

 Quando você está numa posição com algum poder ou destaque, por menor que seja, com certeza será alvo dos bajuladores. Basta ser “diretor social” de um pequeno clube para ser assediado por aqueles que querem uma “mesa de pista” no baile. Basta você ser amigo de alguém importante, para ter “amigos” de quem nunca esperava “amizade” alguma.

 Se você é empresário, diretor ou gerente de uma empresa tem que tomar muito cuidado com aqueles que, unicamente por interesse, podem fingir uma “amizade”, carinho, consideração, que, de fato, não existem.
 São fornecedores, clientes, funcionários, jornalistas, que estão exclusivamente interessados em seu poder, posição ou mesmo em seu dinheiro – para falar sem rodeios.

 É preciso ressaltar que nada há de errado em alguém fazer lobby ou manifestar claramente o seu interesse por alguém que detém uma posição decisória referente à atividade que exerce. E que está nessa posição deve compreender que será mesmo, inevitavelmente, alvo de pessoas que manifestarão esse interesse de várias formas. O perigo está em confundir esse puro interesse com “amizade”.

Isso pode ser considerado falta de ética ou até maldade de parte do bajulador, mas com certeza será ainda mais desastroso para quem é bajulado, pois, com certeza terá uma grande decepção no exato momento em que perder o poder ou a posição e constatar que esses “amigos” desapareceram do dia para a noite.

 Assim, que é assediado por ter algum tipo de poder, precisa tomar muito cuidado, até com os aspectos “éticos” dessas “amizades” exageradas. São presentes oferecidos por fornecedores e aceitos por clientes. São finais de semana em estâncias de turismo pagas por empresas fornecedoras. São “mordomias” vistas como “normais” e colocadas numa conta de “amizade” e que sabemos não caber nessa conta.

 Pois, no exato momento em que você perder o poder que interessava, esses “amigos” serão os primeiros a lhe abandonar e até denunciar acusando-o de ter solicitado todos os favores concedidos.
Pense nesse ditado italiano. Veja se você não está sendo alvo de falsas amizades que poderão lhe prejudicar. 

GOB 192 ANOS



O Grande Oriente do Brasil, maior potência maçônica da América Latina, completou no último dia 17 de junho 192 anos de fundação.

Nasceu antecedido por movimentos sociais que culminaram na Independência do Brasil. Em toda sua história comprometido na defesa da emancipação do cidadão brasileiro, na libertação dos escravos, proclamação da república, princípios a favor da moralidade e contra a corrupção, como aconteceu recentemente na coleta de assinaturas em favor do Projeto Ficha Limpa. segundo o seu criador Juiz Marlon Reis, a maçonaria foi a decisão final na complementariedade da coleta de assinaturas.

O Grande Oriente do Brasil viveu de 21 a 24 de junho últimos, momentos históricos quando os poderes Executivo, Legislativo, Judiciário, Grão-Mestres Estaduais das 27 unidades federativas e mais cerca de dois mil integrantes da família maçônica brasileira, estiveram reunidos. Oportunidade das posses do Grão-Mestre Geral Marcos José da Silva e do Grão-Mestre Geral Adjunto, este que escreve este artigo, orgulhosamente junta-se ao primeiro mandatário nacional da instituição, eleitos que fomos para o quinquênio 2013/2018.

Um dos pontos altos foi a presença de 30 delegações da maçonaria estrangeira, representando países das Américas do Sul, Central e do Norte, Europa e África.

O Grão-Mestre Geral, cuja liderança já é reconhecida internacionalmente, pois exerce a presidência da CMI - Confederação Maçônica Interamericana, foi sereno, mas incisivo ao se pronunciar sobre as crescentes manifestações em nosso país. Fruto de generalizada insatisfação, que levou milhares de brasileiros às ruas, exigindo mudanças, especialmente na demanda de bens sociais como transporte público, saúde, educação e norteada com um basta à corrupção desenfreada. Assim falou e oficializou seu pronunciamento em uma nota aos maçons, intitulada “O Despertar”, lida nas milhares de lojas como instrumento orientador à ação que a Ordem desenvolverá em honra à sua caminhada histórica.

Os nossos artigos publicados neste espaço “Opinião Pública”, do “Diário da Manhã”, único veículo da imprensa brasileira que disponibiliza páginas e páginas todos os dias aos interessados em exporem suas ideias, constitui-se em um canal de comunicação com amigos, leitores e maçons do Brasil.

Transcrevo na íntegra a referida nota: “Anos após anos, o povo brasileiro vem sendo atingido por uma avalanche de ações e atos desanimadores, dando ensejo à indignação silenciosa, que, aos poucos, foi tomando vulto, constituindo-se em estado de espírito desalentador, frustrando sonhos nacionalistas e a esperança de um melhor porvir.

O sentimento de revolta, que se encontrava sufocado, desabrochou e tomou forma, constituindo-se, no momento atual, em constantes demonstrações de civismo, em todo o território nacional, motivadas pelos descalabros que assolam o país, exigindo das autoridades, em todos os níveis de governo, providências e soluções imediatas. Gesto de cidadania que cria a esperança de dias melhores, diante da absoluta necessidade, também, de que sejam banidos os desregramentos morais decorrentes da avassaladora corrupção.

A Maçonaria, apartidária e historicamente solidária com a vontade popular, sempre agiu, sem alarde, nos grandes momentos políticos contra os ardis e as sutilezas, tão perversos à pátria; nunca se emudeceu diante de situações em que o bem comum é marginalizado e quando, por isso, se insinua uma debilidade das instituições em rota de colisão com o direito dos cidadãos.

Desta feita, coerentemente com as suas tradições, diante do uníssono grito popular desprovido de partidarismo, que envolve todos os segmentos sociais, com a efetiva participação de crianças, adolescentes, adultos e idosos, exercendo a plenitude democrática, há de reconhecer a legitimidade dos interesses postos nesses magníficos e ordeiros movimentos contrários às chicanas e que clamam por políticas públicas voltadas à justiça social, sem especulações ou demagogias, enfim, honestas e sérias. Obviamente, repudia os atos de vandalismo e hostilidade de uma minoria que se infiltra, subversivamente, em tentativa de quebrar a consciência pacifista da legítima mobilização popular.

Em suma, há de se respeitar a individualidade, para que a consciência cidadã prevaleça. O Brasil acima de tudo!”.

Como agora, há exatamente 144 anos passados, em 25 de junho de 1869, um estadista de história eterna na cultura, política, e maçonaria, bradava fortemente contra a escravatura no texto “A Emancipação Progride”.

Rui Barbosa no “Tomo I”, da publicação “Campanhas Jornalísticas”, Editora Iracema, escreveu, revoltado com a escravidão o texto “A Emancipação Progride”, que pode ser muito adaptado à revolta pela corrupção presente em todos os pontos da nação.

Disse ele: “Outrora a escravidão parecia fadada à perpetuidade neste país. Falar em extingui-la seria uma blasfêmia. A nação tinha edificado a sua fortuna sobre um crime, consagrando-o nos seus códigos como uma necessidade social. Hoje o princípio difundido pela civilização, lavrou por toda a parte”.

Concluo afirmando que a corrupção infiltrou desde os menores cargos aos maiores de todos os poderes, sejam públicos ou privados. Chegamos ao disparate de que em épocas bem recentes, candidatos eram eleitos com o reconhecimento de sua atuação na frase “rouba mas faz”.

As autoridades devem pensar e meditar sobre o que o “Papa Paulo VI”, registrou em um de seus documentos “as excessivas disparidades econômicas, sociais e culturais provocam entre os povos tensões e discórdias e põem em perigo a paz”.

Os manifestantes pacíficos, entre eles todos os maçons, esperam que os desdobramentos deste momento sejam para mudanças e que o país seja mais justo, tenha mais saúde, educação, segurança e extinga-se de uma vez por todas, a maldita corrupção que desvia recursos para interesses particulares.

Sap. G.M.A. Barbosa Nunes
Artigo publicado no Jornal Diário da Manhã, edição de 06 de julho de 2013.